Cabeçalho de impressão

Indicadores do emprego de Técnicas de Mamografia na Região CentroOeste com base no Protocolo UNSCEAR

retornar

Os benefícios alcançados pelas práticas médicas que empregam radiação ionizante têm tornado-a uma ferramenta essencial para o diagnóstico e terapia. Uma das conseqüências de sua ampla difusão, entretanto, é que as exposições a que são submetidos os pacientes contribuem para a exposição total à radiação sobre as populações no mundo.

Na região centro-oeste, o impacto do emprego das técnicas de mamografia e odontorradiografias sobre a população tem sido pouco estudado, motivo pelo qual o CRCN-CO priorizou o trabalho de levantamento de alguns indicadores.

Em relação à radiologia oral, a pesquisa foi focada para a investigação de clinicas radiológicas nas capitais, por serem mais representativas do emprego de equipamentos periapicais em relação às exposições à radiação sobre a população.

Os resultados foram analisados para uma amostra de 87 máquinas distribuídos nas capitais da região centro-oeste e Tocantins. Para o levantamento de doses, foram empregados detectores passivos (Fluoreto de Lítio-Dy, tld 100 - na forma chip) em arranjos de quatro unidades por grupo de exposição. Ainda, durante as inspeções foi aplicado um questionário sobre informações com dados gerais sobre os equipamentos, e outros relacionados à freqüência de exames, sexo e faixa etária da população submetida aos exames. Dados populacionais e estatísticas de saúde foram analisadas à luz de informações do IBGE (Estatísticas da Saúde - Assistência Médico-Sanitária 2005) e Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde / DATASUS - 01/2007.

Em relação às mamografias, o impacto sobre a população é marcado pela importância da realização preventiva do câncer de mama, motivo pelo qual o CRCN-CO priorizou o trabalho de levantamento de alguns indicadores. A pesquisa contou com apoio das Vigilâncias Sanitárias dos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e Tocantins na investigação de todos os serviços de mamografia públicos e privados no estado de Goiás e todos os serviços de mamografias das capitais dos estados da região. Os resultados foram analisados para uma amostra de 87 equipamentos de raios X de alta resolução. Para medidas na superfície da pele em mamografia, empregou-se detector com sistema de fotodiodo atenuado por filtro de Mo 0.03 mm operado na condição de exposição sem grade antidifusora. Ainda, durante as inspeções foi aplicado um questionário sobre informações com dados gerais sobre os equipamentos, e outros relacionados à freqüência de exames, sexo e faixa etária da população submetida aos exames. Dados populacionais e estatísticas de saúde foram analisadas à luz de informações do IBGE (Estatísticas da Saúde - Assistência Médico-Sanitária 2005) e Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde / DATASUS - 01/2007.

O projeto visa a conhecer a demanda de serviços de radiodiagnóstico dos estados analisados, situar a região frente a outras regiões do país e países de alto nível de atenção médica à saúde e, além da comparação com dados do UNSCEAR 2003 , revelar aspectos importantes das exposições médicas para a região. Significa dizer, apresentar elementos para a identificação de demandas regionais, de investimentos públicos e privados e para a organização da gestão dos recursos destinados a programas de qualidade e proteção radiológica nos seus diversos níveis de complexidade.

Como a disponibilidade, complexidade e freqüência de utilização dos equipamentos de imageamento em radiologia variam amplamente de estado para estado, tanto quanto as informações sobre práticas de cada região brasileira, particularmente aquelas menos desenvolvidas do país, adotou-se neste trabalho o modelo UNSCEAR de correlação entre o número de exames / unidade da população. No modelo, aplicado às nações em geral, os países são categorizados em quatro níveis de saúde. A saber:

Modelo UNSCEAR para categorização de Níveis de Atenção à Saúde

Nível de atenção à saúde Faixa de Atenção
Nível I = 1 médico / 1.000 hab.
Nível II 1 médico / 1.000 - 3.000 hab.
Nível III 1 médico / 3.000 - 10.000 hab.
Nível IV 1 médico >= 10.000 hab.

Considerando que os exames de radiodiagnóstico representam a principal fonte de exposição à radiação, e que no Brasil este é marcado por forte heterogeneidade em termos de cultura, densidade populacional e desenvolvimento, para analisar a região centro-oeste buscou-se estratificar os estados da região, mais o estado de Tocantins e compará-los com índices de países de categoria I em nível de atenção à saúde.

O significado desta análise está apresentado nos tópicos a seguir:

Fale Conosco | Mapa do Sítio | Retornar ao Topo | ©2006 Comissão Nacional de Energia Nuclear